AJUDE A MANTER O BLOG, CLIQUE NAS PROPAGANDAS

Construção do Porto Central - Previsão é que sejam criados 4 mil empregos.


Porto Central contrata a Van Oord Dredging and Marine Contractors para conduzir obras. 

Início da obra 2017 - Investimento de R$ 5 bilhões - Previsão é que sejam criados 4 mil empregos. 

Porto Central – uma join-venture entre o Porto de Roterdã e a TPK Logística – litoral Sul capixaba.

Edwin Van Espen explicou que a empresa está aguardando a emissão, por parte do órgão ambiental, da Licença de Instalação (LI) para iniciar a preparação das obras, que estão programadas para serem iniciadas no final de 2017. Já a operação é esperada para 2019/2020.

O projeto, de R$ 5 bilhões, prevê um conceito de porto-indústria e será realizado por meio de parceria do Porto de Roterdã e da TPK Logística.

A expectativa é de que o porto receba as licenças ambientais até o final deste ano. As obras devem começar no final de 2017.

A previsão é que sejam criados 4 mil empregos.

O empreendimento, vai movimentar inicialmente cerca de 5 milhões de toneladas, chegando a 50 a 150 milhões por ano, quando estiver 100% implantado.

Sobre o Projeto

O Porto Central é um complexo industrial portuário multipróposito em desenvolvimento no Município de Presidente Kennedy/ES, sul do Estado do Espírito Santo, em uma área de aproximadamente 2.000 hectares.
Trata-se de um porto de águas profundas com até 25 metros de profundidade, capaz de receber navios de grande calado, como os navios Valemax e VLCC’s – Very Large Crude Oil Carrier.
O Porto Central será um porto que servirá grandes empresas dos setores de petróleo e gás, mineração, agrícola, de apoio à indústria offshore, assim como estaleiro e terminal de contêiner e carga geral que movimentarão cargas diversas como veículos, produtos siderúrgicos, coque de petróleo para cimenteiras, soja e fertilizantes, carvão, GNL, rochas ornamentais, etc.
O porto está sendo desenvolvido no modelo de condomínio portuário, no qual os empreendedores serão responsáveis pela infraestrutura portuária, terrestre e de utilidades (tais como dragagem, quebra-mar, cais e píeres e vias de acesso) e os clientes do Porto Central arrendam áreas para a implantação de suas respectivas indústrias e/ou terminais. Esse modelo reduz o investimento global e os custos operacionais para os nossos clientes, permitindo que os clientes dediquem os seus recursos às suas atividades fins.

O Porto Central visa criar uma nova perspectiva portuária, com um ambiente atrativo para a indústria, comércio e serviços, a fim de se tornar um porto de classe mundial único no Brasil.