AJUDE A MANTER O BLOG, CLIQUE NAS PROPAGANDAS

A Brasil Supply abre banco de Currículo visando futuras Contratações.


A Brasil Supply S.A. foi constituída em junho de 2002, com foco no fornecimento de soluções integradas para a indústria do petróleo e gás em todo território nacional, atuando nas áreas de logística, gestão ambiental, industrialização de fluídos e serviços marítimos. Hoje, a empresa possui filiais em todo Brasil

A Brasil Supply investe no desenvolvimento do capital humano e compartilha valores com os seus funcionários. Baseado nisso, a empresa está sempre em busca de novos profissionais que possuam contribuir para o seu crescimento e desenvolvimento.

Se você esta em busca de novos desafios, envie seu currículo para jobs@brasilsupply.com.br

Você pode enviar o seu currículo visando futuras oportunidades, ele ficara registrado no banco de dados e sera avaliado pelos recrutadores.

A equipe da Brasil Supply agradece o seu interesse em fazer parte dessa equipe.


Dois novos barcos da Brasil Supply para apoio a operações offshore da Petrobras




A BS Jericoacoara, segundo barco do tipo PSV (Platform Supply Vessel) da Brasil Supply, foi lançado no Estaleiro EISA, localizado na Ilha do Governador, Rio de Janeiro. Essa embarcação foi concebida com 4.500 deadweight tonnage (DWT), o que significa que poderá transportar até 4,5 mil toneladas de cargas, combustível, água potável, provisionamentos e tripulação. Sua principal utilização será no transporte de fluidos de completação e perfuração para poços de petróleo, atividades nas quais a companhia já possui expertise.

A outra embarcação com as mesmas características é a BS Itamaracá, lançada em 2014 no mesmo estaleiro EISA, que entrará em operação no final deste ano. A BS Jericoacoara deverá entrar em operação a partir de meados de 2016. Ambas terão como base Macaé e atuarão na Bacia de Santos. Esses barcos são importantes para a distribuição de fluidos e granéis líquidos, contribuindo para o desenvolvimento da exploração e produção petrolífera na Bacia de Santos. Com tripulação de 16 marítimos, têm capacidade extra para seis passageiros cada.

O presidente da Brasil Supply, José Ricardo Roriz Coelho, salienta que o diferencial desses dois barcos, considerados o estado da arte no que se refere à tecnologia e sistemas de navegação e comunicação, é sua capacidade de transportar grandes volumes de carga líquida, com quatro tipos de segregação: lama sintética; lama à base de óleo; lama à base de água; e salmoura.

BS IporangaAinda em em data a confirmar, será realizada na Ilha Fiscal a cerimônia que oficializará a entrada em operação da BS Iporanga, embarcação do tipo UT 4.000. Trata-se de um FSV (Fast Supply Vessel), com foco no transporte de carga. É de alta velocidade e garante grande mobilidade para as equipes da Petrobras em alto mar. Construída pelo Estaleiro Arpoador, no Guarujá (SP), terá como base a Baía de Guanabara e atenderá, principalmente, as atividades na Bacia de Santos.

Capaz de atingir velocidades superiores a 25 nós (o equivalente a 46 km/h), a fast supply vessel BS Iporanga está entre as mais velozes em operação do País e foi construída com mais de 60% de conteúdo nacional. Ela possui as mesmas “linhas de projeto” das P3 classe BS Maresias, que começou a operar no final de 2013.

Investimentos mantidosJosé Ricardo Roriz Coelho, defendendo políticas eficazes para a revitalização da cadeia produtiva de petróleo e gás, acredita na recuperação do setor e no grande potencial representado pela exploração do pré-sal. “Nesse sentido, estamos mantendo os investimentos e cumprindo a agenda de construção e entrega de 17 barcos para operações de apoio marítimo”.

Os barcos são construídos em estaleiros nacionais e integram o Plano de Renovação da Frota de Embarcações de Apoio Marítimo (Prorefam) da Petrobras. “A nossa previsão é de que, até 2017, todas as 17 embarcações construídas no País, nesta primeira fase de nosso Plano de Negócios, estejam em operação”, salienta Roriz. Para atender à demanda, a Brasil Supply captou, em 2009, mais de R$ 800 milhões em financiamentos ao Fundo de Marinha Mercante (FMM).

Fonte: TN Petróleo